Governo do Irã anuncia projeto para ser autossuficiente em urânio

País foi dividido em quatro regiões que se concentrarão na busca e extração do material nuclear

Efe,

18 de outubro de 2010 | 18h21

TEERÃ- O diretor do Órgão iraniano de Energia Atômica, Ali Akbar Salehi, anunciou nesta segunda-feira, 18, que seu país iniciou um novo projeto para a busca e extração de urânio com o objetivo de conseguir a autossuficiência nesse campo.

 

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 

O país foi divido em quatro regiões e o governo destinou um orçamento particular para acelerar os trabalhos. "Uma vez iniciada a usina nuclear de Bushehr, nossa prioridade é a busca de urânio para sermos capazes de cobrir nossas necessidades", disse Salehi.

 

"Uma série de operações técnicas e executivas foram iniciadas e, graças à ajuda do presidente do país, contamos com o apoio financeiro e técnico necessário", acrescentou o funcionário, citado pela televisão estatal.

 

Salehi explicou que o país foi dividido em quatro áreas, mas que os esforços se concentrarão nas regiões do centro e do sul do Irã.

 

Grande parte da comunidade internacional, com os Estados Unidos e Israel como líderes, acusa o Irã de ocultar, sob seu programa nuclear civil, outro de natureza clandestina e aplicações bélicas cujo objetivo seria a aquisição de um arsenal atômico, o que Teerã nega.

 

O regime iraniano desprezou, em novembro de 2009, uma proposta de Washington, Moscou e Londres para trocar urânio enriquecido a 3,5% por combustível nuclear a 20% para a usina de pesquisa que o país possui na capital. Desde então, não houve negociações formais entre as partes.

 

Em fevereiro deste ano, o Irã ignorou as advertências da comunidade internacional e começou a enriquecer urânio a 20%, o que levou o Conselho de Segurança das Nações Unidas a impor uma quarta rodada de sanções ao país em junho.

 

Um mês antes, Irã, Brasil e Turquia selaram um acordo no qual recuperavam essa troca, embora com outras condições, o que Teerã deseja agora que se transforme em um dos pilares da negociação.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclearurânioBushehr

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.