Governo do Iraque anuncia nova coalizão sem sunitas

O novo grupo é batizado como 'Frente Moderada' pelo presidente iraquiano, o curdo Jalal Talabani

Associated Press e Agência Estado,

16 de agosto de 2007 | 15h41

O primeiro-ministro e o presidente do Iraque anunciaram nesta quinta-feira, 15, uma nova aliança governista de xiitas moderados e curdos, sem entretanto a desejada presença de sunitas moderados. O primeiro-ministro Nouri al-Maliki disse que tratava-se de um primeiro passo para desbloquear a estagnação política que toma seu governo de maioria xiita desde que assumiu o poder em maio de 2006. Autoridades dos EUA têm aumentado a pressão sobre Maliki, acusado de ser tendencioso em favor dos xiitas e de não conseguir conter a violência sectária, que persiste no Iraque apesar da presença de cerca de 160.000 soldados americanos. A nova coalizão anunciada depois de três dias de intensas negociações em Bagdá decepcionou, já que não inclui o vice-presidente sunita Tariq al-Hashemi e seu moderado Partido Islâmico Iraquiano. O presidente Jalal Talabani e Maliki fizeram o anúncio tendo ao lado o líder da região autônoma curda, Massoud Barzani, e o vice-presidente xiita Abdel Abdul-Mahdi. Os quatro assinaram um acordo de três páginas que garantirá ao grupo uma maioria no Parlamento de 275 assentos, permitindo a passagem de projetos de lei considerados essenciais pelos EUA. Talabani, um curdo, disse que al-Hashemi recusou o convite para participar da nova aliança, mas "a porta ainda está aberta para eles e eles serão sempre bem-vindos". O acordo foi anunciado quatro semanas antes de o comandante das tropas dos EUA no Iraque, general David Patreaus, e o embaixador americano Ryan Crocker apresentarem ao Congresso americano uma avaliação sobre a situação no país árabe.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.