Governo iraquiano prepara nova ofensiva contra insurgentes

As forças de segurança iraquianas estãoprontas para lançar uma grande ofensiva contra gruposinsurgentes na volátil província de Diyala, disse o Ministériodo Interior neste domingo. A operação seria parte de uma sériede ofensivas já desencadeadas com o objetivo de estabilizar opaís. A rede islâmica sunita Al Qaeda m procurando alimentar astensões em Diyala, província no nordeste do Iraquecaracterizada pela diversidade de etnias e religião e que temsido alvo de uma onda de atentados suicidas nos últimos meses. Como as ofensivas anteriores lideradas pelas forçasiraquianas, esta também terá como meta impor a autoridade dogoverno em áreas que já estiveram sob controle de insurgentesárabes sunitas ou milícias xiitas. Autoridades iraquianas e dos Estados Unidos dizem que umacampanha contra a Al Qaeda em Mossul, no norte, e na provínciade Nínive, no entorno de Mossul, ajudou a reduzir a violêncianessa região. Outras operações tiveram como alvo milíciasxiitas em Basra e Maysan, províncias no sul do país. "As forças de segurança logo estarão em Diyala para fazer omesmo que fizeram em Basra, Maysan e Mossul. E Diyala poderáser a última etapa", disse o porta-voz do Ministério doInterior, general Abdul-Kareem Khalaf, em uma coletiva deimprensa. Ele não informou a data do início da ofensiva em Diyala enão ficou claro se essa seria a última grande operação com oobjetivo de garantir segurança para o país. O total de ataques em todo o Iraque caiu 85 por cento emjunho em relação a um ano atrás, disseram os militaresiraquianos na semana passada. As forças dos EUA realizam operações de segurança em Diyaladesde o começo do ano e tomarão parte da nova ofensivairaquiana, disse um porta-voz. O sucesso das recentes operações iraquianas deu confiançaao governo, o que ficou mais evidente nos pedidos de líderesiraquianos de criação de um cronograma para a retirada dastropas dos EUA, como parte de um acordo de segurança que estásendo negociado com o governo norte-americano. As forças de segurança iraquianas assumem a liderança emmais de 75 por cento das operações de segurança, disse à redeCNN o consultor de segurança nacional do Iraque, Mowaffaqal-Rubaie. Autoridades dos EUA e do Iraque estão negociando um acordopara estabelecer a base legal para a permanência de tropasnorte-americanas no país depois que expirar o mandato da ONU,no fim do ano. Mas os negociadores encerraram os esforços para alcançar umacordo formal antes de o presidente dos EUA, George W. Bushdeixar o cargo, em janeiro. Em vez disso, seria acertado umacordo interino, segundo informou este domingo o diário TheWashington Post, citando fontes do alto escalão dos EUA. O Iraque é um tema de destaque na batalha entre orepublicano John McCain e o democrata Barack Obama pelapresidência dos EUA, na eleição de novembro. McCain apóia aatual estratégia do governo Bush enquanto Obama defende umcronograma para a retirada das tropas. (Reportagem adicional de Tim Cocks e Waleed Ibrahim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.