Governo libanês anuncia boicote à cúpula árabe

O governo do Líbano anunciou naterça-feira sua decisão de boicotar a cúpula árabe dos dias 29e 30 em Damasco, por causa da influência síria no impasse queimpede a eleição de um novo presidente libanês. O Líbano, cujo governo se opõe à ingerência síria no país,culpa a Síria e seus aliados libaneses, inclusive o Hezbollah,pela crise que paralisa o governo e deixou a nação sempresidente pela primeira vez desde o fim da guerra civil(1975-90). "Com base na injustiça a que a Síria submeteu o Líbano, àluz do vácuo na presidência, o Conselho de Ministros decide queo Líbano não participará da cúpula árabe em Damasco, marcadapara 29 e 30 de março", assinala uma nota do governo. O texto descreve o boicote libanês a esse encontro como "umprecedente lamentável que nos foi imposto" -- notando que opaís nunca esteve ausente de uma reunião de cúpula árabe. A Arábia Saudita, que apóia o governo libanês e tambémcritica a Síria, decidiu enviar à cúpula apenas o seuembaixador na Liga Árabe, e não o rei Abdullah. O presidente do Egito, Hosni Mubarak, deve ser outraausência. Tanto Egito quanto Arábia Saudita são aliadosimportantes dos EUA, que também acusam a Síria de interferirnos assuntos do vizinho Líbano. (Reportagem adicional de Nadim Ladki)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.