Governo líbio oferece recompensa a quem cooperar contra revolta

O Comitê para a Segurança Geral do Povo da Líbia, um órgão do regime do dirigente líbio, Muammar Gaddafi, pediu nesta quinta-feira que a população entregue suas armas e ofereceu recompensas para quem der informações sobre os líderes dos protestos, em um comunicado divulgado ao vivo na TV líbia.

REUTERS

24 de fevereiro de 2011 | 08h21

As forças de segurança da Líbia vêm reprimindo as manifestações contra o governo. Os confrontos se espalharam pela capital, Trípoli, depois de irromperem na semana passada na região produtora de petróleo, no leste do país. Mas não há sinais de que Gaddafi, que está há 41 anos no poder, vá renunciar.

"Aquele que entregar sua arma e demonstrar remorso será eximido de perseguições legais, Os comitês pedem aos cidadãos que cooperem e informem sobre quem liderou os jovens ou lhes entregou dinheiro, equipamentos ou substâncias intoxicantes e pílulas alucinógenas", diz o texto.

O comitê também disse que quem cooperar receberá dinheiro. A transmissão da emissora foi sintonizada no Cairo.

(Reportagem de Marwa Awad)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAGOVERNOORDENA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.