Grã-Bretanha deve retirar mais tropas do Iraque em 2009

A Grã-Bretanha tem condições de reduzirainda mais seu contingente no Iraque em 2009, graças à melhorada situação na cidade portuária de Basra, segundo um comandantemilitar. O general Barney White-Spunner, que voltou nesta semana aLondres após passar seis meses comandando os 4.100 soldadosbritânicos em Basra, disse que a segurança agora é tão boa queos militares podem se dar ao luxo de parar para comer kebab"nas ruas. "A mudança em Basra é realmente marcante", disse ele ajornalistas na quarta-feira. "Conforme o Iraque vai melhorando,isso permite reduções das forças. As condições agora indicamque a mudança fundamental de missão pode ocorrer no ano quevem." Em julho, o primeiro-ministro Gordon Brown disse que tal"mudança fundamental" ocorreria no começo de 2009, mas nãocitou números nem prazos -- algo que o general também evitou. A Grã-Bretanha pretendia reduzir a tropa para 2.500soldados no começo deste ano, mas reviu os planos por causa doressurgimento da violência em Basra no final de 2007. Desdeentão, Brown é cauteloso ao falar em prazos, e diz que qualquerredução precisa ser combinada com os EUA. Fontes de defesa sugerem que a Grã-Bretanha poderia ficarcom menos de mil soldados no primeiro semestre, embora issoainda não esteja decidido. Tal redução permitiria que osmilitares se concentrassem mais nas operações do Afeganistão,onde 8.000 soldados enfrentam uma dura resistência do Taliban. O diário norte-americano Wall Street Journal disse naquinta-feira que, se a Grã-Bretanha retirar tropas já no começode 2009, os EUA têm planos de contingência para enviar forças aBasra. Falando antes da reportagem sair, White-Spunner afirmou que"obviamente há um considerável planejamento ocorrendo com osnorte-americanos sobre como será a futura construção doIraque." "Os norte-americanos querem que as reduções sejam tais queeles possam manter os ganhos que obtiveram, e obviamentediscutiremos de militar para militar sobre como levar talplanejamento adiante."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.