Granada mata três crianças que jogavam futebol no Iraque

Crianças brincavam ao lado de uma base militar; explosões matam 17 e ferem 34 em ataques no país

Agência Estado e Associated Press,

20 de fevereiro de 2008 | 13h02

Três crianças iraquianas foram mortas por uma granada de morteiro nesta quarta-feira, 20, informaram oficiais dos Estados Unidos. Outras sete crianças ficaram feridas no ataque insurgente perto de Balal, cerca de 80 km ao norte de Bagdá. Explosões também mataram 14 policiais iraquianos e feriram 27 em Bagdá na noite de terça-feira, 19. No total, 17 pessoas morreram e outras 34 foram feridas em ataques no país.   Veja também: Vice-ministro iraquiano fica ferido em atentado em Bagdá   A granada de morteiro que matou as três crianças caiu no campo em que elas jogavam futebol ao lado de uma base militar. Em relação ao atentato em Balal, segundo oficiais dos EUA, as sete crianças feridas estavam sendo tratadas em um hospital militar.   Os policiais iraquianos mortos na noite de terça investigavam um local de onde teriam sido disparados morteiros contra bases dos EUA quando aconteceram as explosões. O exército dos EUA, por seu lado, anunciou a morte de três de seus soldados num atentado a bomba em uma estrada a noroeste de Bagdá, elevando para 3.966 o número de militares americanos mortos no Iraque desde o início da invasão em março de 2003.   No ataque de morteiro contra bases dos EUA na noite de terça na capital, quatro soldados ficaram feridos.   Depois de receber uma informação, a polícia iraquiana encontrou uma picape com foguetes em sua carroceria prontos para serem disparados atrás de uma fábrica deserta de gelo numa região predominantemente xiita.   Quando especialistas em explosivos tentavam desarmar os foguetes, dois deles foram detonados, matando 11 especialistas e três outros policiais.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.