Grupo de exilados iranianos confirma execução de opositor

Um grupo de exilados iranianos em Paris confirmou nesta terça-feira a execução de um de seus membros no Irã, dizendo que isso representa a frustração de Teerã por não conseguir combater o movimento oposicionista.

REUTERS

28 de dezembro de 2010 | 13h28

Segundo a agência oficial de notícias IRNA, Ali Saremi, um membro do grupo de exilados de oposição Organização Mujahideen do Povo do Irã (OMPI), foi enforcado por diversos crimes, incluindo por "moharebe" ou travar guerra contra Deus.

O Código Penal do Irã, instaurado em 1979 pela Revolução Islâmica, determina que a espionagem e a declaração de guerra contra Deus podem ser punidos com pena de morte.

O líder do Conselho Nacional de Resistência do Irã em Paris, Maryam Rajavi, disse em comunicado que a execução de Saremi "reflete apenas a incapacidade do regime e sua frustração ao enfrentar jovens iranianos decididos e membros da OMPI determinados em derrubar o domínio clerical e estabelecer a liberdade e o governo do povo no Irã".

Segundo o comunicado, Saremi foi submetido "a tortura e a pressões muito brutais" até seus últimos dias e sua filha foi detida em frente à prisão Evin, em Teerã, depois de sua execução.

(Reportagem da Redação de Paris)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAEXECUCAOEXILADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.