Hadi Mizban/AP - 8/12/2009
Hadi Mizban/AP - 8/12/2009

Grupo ligado à Al-Qaeda assume autoria de atentados em Bagdá

Radicais advertem que estão determinados a abalar os pilares do governo e que a lista de alvos não tem fim

Efe e AE,

10 de dezembro de 2009 | 08h13

O braço da Al-Qaeda no Iraque assumiu a autoria dos ataques coordenados que mataram 77 pessoas e feriram mais de 500 em Bagdá na terça-feira,8. O grupo conhecido como "Estado Islâmico do Iraque", disse em um comunicado na internet na manhã desta quinta que os ataques na capital iraquiana tiveram como alvo os "bastiões da maldade, os lares dos apóstatas e inimigos do Islã".

No comunicado, o grupo afirma que este é o terceiro ataque em massa realizado por seus membros nos últimos meses na capital iraquiana.

Os radicais também advertem que estão determinados a abalar os pilares do governo iraquiano e que a lista de alvos não tem fim.

Os dois atentados anteriores reivindicados pelos terroristas aconteceram em 19 de agosto e 25 de outubro e deixaram 100 e 155 mortos. Ontem, o governo revisou o número de mortos do atentado de terça de 127 para 77.  Na terça-feira, o ministério da Saúde havia informado que o número de mortos poderia mudar porque os corpos das vítimas estavam muito mutilados.

Após os ataques, o primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, demitiu o chefe de operações de segurança de Bagdá, o general Abud Qanbar.

Segundo um comunicado divulgado pelo escritório de al-Maliki, o general Ahmed Hachem Audat foi nomeado para o lugar de Qanbar, e o diretor da Polícia Nacional, Hussein Al Awadi, foi escolhido como seu assessor.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueAl-QaedaatentadoBagdá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.