Ahmad Abdo / EFE
Ahmad Abdo / EFE

Segurança israelense mata dois civis após tentativa de ataque na Jordânia

Jordaniano usou uma chave de fenda para tentar matar o guarda, que atirou no agressor e acabou atingindo também outro homem por acidente

O Estado de S.Paulo

24 Julho 2017 | 04h34
Atualizado 24 Julho 2017 | 12h19

JERUSALÉM - Um segurança israelense da embaixada de Israel em Amã foi atacado por um jordaniano em sua residência e respondeu a tiros, matando um terceiro homem por acidente, informou o Ministério israelense das Relações Exteriores.

O incidente aconteceu no domingo 23, quando um trabalhador jordaniano que estava na casa do israelense para instalar alguns móveis tentou matá-lo com uma chave de fenda. O guarda atirou e também acertou o proprietário do apartamento, presente no local. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu, relatou o Ministério.

Ainda não está claro se o caso tem relação com as tensões dos últimos dias na região, decorrentes das novas medidas de segurança impostas por Israel aos palestinos que forem à Esplanada das Mesquitas, na Cidade Velha de Jerusalém, um dos lugares santos do Islã.

Ainda nesta segunda-feira, um palestino esfaqueou um israelense no pescoço em uma lanchonete em Petah Tikvauna, próxima a Tel Aviv, e em seguida foi detido. "Um residente de Qalqilya, de 21 anos, esfaqueou o cidadão israelense no pescoço. Ele tentou escapar, mas foi detido", informou um comunicado da polícia. A vítima, de 32 anos, não corre risco de morte. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.