Guerra, clima e burocracia fazem Síria não cumprir prazo de armas químicas

Preocupações com segurança e burocracia levaram o governo do presidente Bashar al-Assad a não cumprir o prazo desta terça-feira para a remoção de toxinas mortíferas da Síria sob o esforço internacional para remover seu arsenal de armas químicas, informou a agência global de armas químicas.

Reuters

31 de dezembro de 2013 | 10h29

Clima ruim e o complexo esforço multinacionais para a busca de equipamentos também atrasaram a operação, disse uma autoridade da Organização para a Proibição de Armas Químicas.

(Reportagem de Oliver Holmes em Beirute e Kinda Makiyeh em Damasco)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAQUIMICAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.