Hamas acusa judeus nos EUA de terem causado crise financeira

Colapso 'está relacionado à administração corrupta, administrativa e financeira do lobby judeu', diz grupo libanês

Efe,

07 de outubro de 2008 | 15h56

O movimento islâmico Hamas acusou nesta terça-feira, 7, o lobby judeu nos Estados Unidos de ter provocado a atual crise econômica mundial e de controlar suas finanças e política externa. "Não há nenhuma dúvida de que o colapso da economia americana tem suas próprias razões e que estão relacionadas à administração corrupta, administrativa e financeira do lobby judeu", afirma o porta-voz do Hamas, Fawzi Barhum, em artigo enviado nesta terça à imprensa.   Veja também: A cronologia da crise financeira  Veja como a crise econômica já afetou o Brasil Entenda a crise nos EUA      Segundo o porta-voz do Hamas, movimento que controla a Faixa de Gaza desde junho de 2007, a economia dos EUA não desabou "de repente", mas que este foi o argumento usado pelo presidente americano, George W. Bush, para "ocultar" o que todos já sabem em seu país. "Eles, os ocupantes da Casa Branca, atuaram com negligência ante o fato de que os sistemas bancários e financeiros nos EUA são controlados pelo lobby judeu", acrescenta.   Em uma análise da situação financeira internacional, Barhum afirma que o plano de US$ 700 bilhões defendido por Bush não funcionará, pois não oferece nenhuma solução para o controle judeu dos bancos e da política externa dos EUA. "(O lobby) controla as eleições nos EUA e define a política externa de qualquer novo Governo, e (faz isso de uma) de forma que permita ficar no controle da economia e do Governo dos EUA", destaca.   As primeiras acusações contra a comunidade judaica americana por causa de sua suposta responsabilidade no colapso financeiro mundial das últimas semanas surgiram nos EUA, onde a Liga Antidifamação (ADL, em inglês) denunciou um significativo aumento de conteúdo anti-semita na internet.   Segundo o jornal israelense Haaretz, algumas das mensagens enviadas pela internet sugeriam que a crise financeira fazia parte de uma conspiração judaica para uma "nova ordem mundial."  

Tudo o que sabemos sobre:
HamasLíbanoEUAIsraelCrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.