Hamas ameaça romper bloqueio israelense na Faixa de Gaza

Diretor do grupo palestino qualificou o bloqueio como 'tirania' e diz que cumprirá ameaça se nada for feito

Efe,

24 de maio de 2008 | 14h01

O diretor do escritório político do movimento palestino Hamas, Khaled Meshaal, ameaçou neste sábado, 24, romper o bloqueio israelense sobre a Faixa de Gaza e abrir as passagens da fronteira, "especialmente a de Rafah com o Egito". Em entrevista coletiva conjunta com o ministro de Assuntos Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, em Teerã, Meshaal destacou que o Hamas está disposto a "romper o bloqueio de Gaza se a comunidade internacional e as partes implicadas não fizerem nada." Veja também:Hamas faz convite a ministro francês para visita a GazaOlmert quer diálogo de paz simultâneo com sírios e palestinos "Estamos decididos a abrir as passagens fronteiriças, especialmente a de Rafah", observou, em uma advertência que poderia repetir o episódio de janeiro passado, quando militantes do Hamas abriram a fronteira e permitiram a milhares de palestinos atravessarem o Egito durante 11 dias. Meshaal afirmou que "o regime sionista deteve 11.600 palestinos" e qualificou de "tirania" o bloqueio sobre Gaza. Além disso, disse que "a outra parte (em referência ao presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas) está negociando com os EUA e com o regime sionista." Segundo ele, no entanto, essa negociação já é um "plano fracassado, porque o povo palestino não vai aceitar acordos sobre esse tema." Por sua vez, Mottaki acusou os EUA de serem "cúmplice de Israel nos crimes na Palestina". "Para nós os que apóiam Israel, especialmente o Governo dos EUA, são os cúmplices deste regime em seus crimes na Palestina", disse Mottaki. O chefe da diplomacia iraniana também observou que seu país apóia a resistência e os direitos do povo palestino, e acredita que essa resistência é uma necessidade para a estabilidade de uma paz duradoura na região.

Tudo o que sabemos sobre:
HamasIsraelGaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.