Hamas cometeu crimes de guerra contra civis de Gaza, diz Anistia Internacional

Segundo relatório da entidade, abusos foram cometidos durante conflito com Israel no ano passado

O Estado de S. Paulo

26 de maio de 2015 | 21h26

LONDRES - A Anistia Internacional afirmou em relatório que o grupo Hamas cometeu crimes de guerra contra civis palestinos na Faixa de Gaza durante a guerra do ano passado com Israel.

Um cessar-fogo em agosto encerrou 50 dias de combate entre militantes de Gaza e Israel, no qual autoridades de saúde disseram que mais de 2.100 palestinos, a maioria civis, foram mortos. Israel diz que 67 soldados e 6 civis do país morreram.

"As forças do Hamas realizaram uma campanha brutal de sequestros, tortura e assassinatos contra palestinos acusados de 'colaborar' com Israel e outros durante a ofensiva militar de Israel contra Gaza", disse o relatório do grupo de direitos humanos.

Em relatório anterior, divulgado em março, a Anistia também criticou Israel e acusou o país de crimes de guerra durante o conflito. Além das muitas mortes, pelo menos 16.245 casas foram destruídas ou tornadas inabitáveis. Militantes de Gaza dispararam milhares de foguetes e granadas de morteiros contra Israel.

No relatório mais recente, a Anistia listou uma série de casos descritos como "arrepiantes", em que palestinos acusados pelo Hamas de ajudar Israel foram torturados e mortos.

"O governo do Hamas concedia às suas forças de segurança liberdade para cometer abusos horríveis, até mesmo contra pessoas sob sua custódia. Essas ações arrepiantes, algumas delas crimes de guerra, foram cometidas para se vingar e espalhar o medo em toda a Faixa de Gaza", disse a Anistia.

Representantes do Hamas não estavam imediatamente disponíveis para comentar o relatório da Anistia. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
ANISTIA INTERNACIONALGAZACRIMESHAMAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.