Hamas critica Obama por cobrar reconhecimento de Israel

Para grupo, novo presidente dos EUA iniciou seu mandaato com 'um passo em falso' ao pedir esta condição

EFE

24 de janeiro de 2009 | 10h36

O Hamas afirmou neste sábado, 24, que o novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, iniciou seu mandato com um "passo em falso", ao pedir ao grupo islâmico que aceite as condições do Quarteto de Madri (EUA, Rússia, ONU e União Europeia), que incluem o abandono da luta armada e o reconhecimento de Israel.   "O apelo de Obama para que aceitemos as injustas condições do Quarteto representa um passo em falso" e o aproxima da "política americana tradicional, que é a principal razão do sofrimento do povo palestino", disse à Agência Efe o porta-voz oficial do Hamas na Faixa de Gaza, Fawzi Barhoum.   "Obama deve apoiar a legitimidade da causa palestina, deter os crimes da ocupação (israelense) e reconhecer o direito dos palestinos à autodefesa", acrescentou Barhoum, para quem a postura do novo presidente americano "pode ser utilizada por Israel para dar continuidade a seus assassinatos e a seu cerco aos palestinos".   Khaled al-Bash, um dos líderes de outro importante grupo armado palestino, a Jihad Islâmica, também criticou a postura de Obama sobre o conflito no Oriente Médio.   "Para nós, a declaração de Obama não é nenhuma surpresa, já que a política americana é controlada pelos grupos de pressão judeus. Digo a todos os que pensam que os EUA ajudarão os palestinos que estãoequivocados e perdem tempo", disse Bash à Efe.   As reações de Barhoum e Bash às declarações de Obama sobre o Oriente Médio são as primeiras dos grupos armados palestinos vindas de dentro de Gaza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.