Hamas diz que ainda estuda acordo de reconciliação palestina

Mediado pelo Egito, pacto deve ser firmado até o dia 25 com o Fatah, partido do presidente Mahmoud Abbas

Efe,

14 de outubro de 2009 | 12h42

O movimento islâmico Hamas afirmou nesta quarta-feira, 14, que continua estudando o acordo de reconciliação palestino proposto pelo Egito, e acusou o Fatah de estar envolvido em ações que não contribuem para conseguir uma solução.

 

"O movimento Hamas ainda está estudando o documento egípcio, quando tomarmos uma decisão, diremos sim ou não", disse o porta-voz do Hamas, Fawzi Barhum, em declarações à rede de televisão Al Jazira.

 

Barhum acrescentou que rejeitavam negociar "nesta situação, sob a pressão do tempo", assim como sob qualquer pressão árabe ou internacional para a assinatura do acordo. "O Fatah está conduzindo uma campanha envenenada de segurança, política e informativa contra o Hamas. Esta campanha vai contra dos esforços para a reconciliação", disse.

 

Além disso o porta-voz, ressaltou que, com esta atuação, o Fatah pretende distorcer a imagem do Hamas e "incitar a opinião pública" contra o movimento islâmico e disse que o povo palestino está pressionando seu movimento para que não se reconcilie com os nacionalistas do Fatah, dirigidos pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

 

O Egito, mediador no diálogo que busca reconciliar os grupos palestinos, convocou as partes para assinar um documento final no próximo dia 25. Segundo responsáveis do Fatah, Cairo também tinham pedido às partes que dessem uma resposta definitiva a sua proposta de reconciliação até o dia 15 deste mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.