Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Hamas e Egito retomam contatos para cessar-fogo em Gaza

Autoridades iniciaram 2ª rodada de negociações para fazer grupo islâmico e Israel chegarem a acordo

EFE

25 de janeiro de 2009 | 13h13

Componentes.montarControleTexto("ctrl_texto") Componentes.montarControleTexto("ctrl_texto") As autoridades egípcias iniciaram hoje a segunda rodada de negociações com o Hamas para tentar fazer o grupo islâmico e Israel chegarem a um acordo para uma trégua duradoura na região, informou a agência oficial de notícias "Mena".       Veja também: Arrasada por guerra, Gaza começa a retomar a rotina Ouça entrevista com correspondente sobre a destruição em Gaza  Guerras no Oriente Médio já custaram US$ 12 tri em 20 anos Israel aprova plano para barrar contrabando de armas para Gaza Especial traz mapa com principais alvos em Gaza  Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  As imagens da destruição na Faixa de Gaza    Na reunião, Omar Suleiman, chefe do serviço secreto do Egito, e o líder do Hamas Imad al-Alami discutirão formas de reforçar o cessar-fogo vigente na Faixa de Gaza após mais de 20 dias de ataques israelenses.   Israel quer um acordo que inclua uma trégua de vários anos, enquanto o Hamas, segundo fontes citadas pelo jornal em língua árabe "Al-Hayat", só aceita uma trégua de um ano.   No encontro, do qual também participam líderes do Hamas em Damasco e em Gaza, as partes também conversarão sobre o fim do bloqueio israelense à faixa territorial, a abertura dos postos fronteiriços e a reconciliação palestina.   No entanto, segundo o "Al-Hayat", para o grupo islâmico o diálogo interpalestino só será debatido depois que uma trégua for acertada com Israel.   Segundo fontes palestinas, a expectativa é que os representantes do Hamas rejeitem qualquer oferta, uma vez que informações divulgadas em Israel dão conta de que o Governo israelense e o Egito combinaram medidas para evitar o contrabando de armas rumo a Gaza pela fronteira egípcia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.