Hamas e Fatah dialogam no Egito sobre reconciliação

Autoridades palestinas do grupo islâmico Hamas e do partido Fatah, ao qual pertence o presidente Mahmoud Abbas, conversaram no Cairo nesta segunda-feira a fim de pavimentar o caminho para uma possível reconciliação entre os dois grupos após a ofensiva israelense em Gaza. Autoridades palestinas disseram que Jamal Abu Hashem, do Hamas, e Azzam al-Ahmed, do Fatah, dialogaram, na primeira conversação do tipo em 10 meses, nos bastidores de encontros entre grupos palestinos e oficiais da inteligência do Egito. "Eu me encontrei com um dos principais membros da delegação (do Hamas) durante uma longa sessão para decidir sobre o diálogo", disse Ahmed em uma entrevista coletiva. "Concordei claramente com ele para ter outro encontro." Os dois lados mantiveram conversas formais pela última vez em março de 2008 no Iêmen, cujos esforços para chegar a um acordo fracassaram depois de um desacordo sobre se o Hamas deveria ceder o controle da Faixa de Gaza antes das negociações. Mais tarde, em novembro, o Egito adiou uma rodada de negociações depois que o Hamas ameaçou a boicotar o encontro. As atuais conversas ocorrem uma semana após Abbas pedir que facções palestinas formem um governo de coalizão para se preparar para as eleições, depois que a ofensiva de Israel em Gaza matou cerca de 1.300 palestinos. Dez soldados israelenses e três civis também morreram. "Estamos prontos a começar imediatamente um amplo diálogo nacional palestino... Amanhã é melhor que o dia depois", afirmou Ahmed. "Espero que os irmãos do Hamas sejam responsivos." O Hamas, que ganhou as eleições palestinas em 2006, tomou o controle da Faixa de Gaza do Fatah em 2007. Abbas, ainda no controle da Cisjordânia, tem apoio do Ocidente, mas é considerado fraco por líderes de alguns países árabes, como a Síria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.