Efe
Efe

Hamas endurece exigências para libertação de soldado de Israel

Grupo retrocedeu em 'entendimentos' alcançados no último ano e elevou 'exigências extremistas', diz Olmert

Agências internacionais,

16 de março de 2009 | 19h07

O governo israelense disse nesta segunda-feira, 16, que o grupo palestino Hamas endureceu suas exigências durante dois dias de conversas intensivas no Cairo para troca de prisioneiros. Segundo comunicado divulgado pelo escritório do primeiro-ministro Ehud Olmert, o grupo retrocedeu "entendimentos" alcançados no último ano e elevou "exigências extremistas."

 

Veja também:

linkProtesto na frente da casa de Olmert pede libertação de soldado

 

Israel tenta a libertação de Gilad Shalit, soldado mantido na Faixa de Gaza desde 2006. O Hamas, que controla o território e resistiu a uma devastadora ofensiva israelense em janeiro, quer que 1.400 prisioneiros palestinos - incluindo líderes do grupo - sejam libertados em troca de Shalit.

 

O comunicado do governo de Israel, que informa sobre o fracasso das conversas, afirma que amanhã o primeiro-ministro interino do país, Ehud Olmert, chefiará uma reunião de gabinete que dará "um relatório completo dos detalhes dos contatos", linguagem que indica de maneira forte que as conversações acabaram.

 

Funcionários do Hamas em Gaza não estavam disponíveis para comentar, e o governo egípcio, que mediava as negociações, não emitiu nenhum comunicado. O governo israelense tem obstruído uma troca desigual, mas recentemente sinalizou flexibilidade. O Hamas, que é criticado por Israel e pelo Ocidente por rejeitar a coexistência com o Estado judeu, mantém suas reivindicações.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelHamasShalit

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.