Hamas exibe novos recrutas para luta contra Israel

Crise provocada pela onda de violência entre israelenses e palestinos perturba negociações por acordo de paz

Agências internacionais,

17 de janeiro de 2008 | 09h04

Em meio a onda de violência provocada pelo conflito entre israelenses e militantes palestinos, a facção islâmica Hamas exibiu os novos soldados recrutados pelo grupo. Militantes em Gaza, dominada pelo grupo, intensificaram seus ataques com foguetes contra o sul de Israel, e o Estado judeu manteve seus bombardeios aéreos e de artilharia contra a região. Não há registro de vítimas, mas o aprofundamento da violência perturbou a retomada das negociações entre Israel e a Autoridade Palestina.   Foto: AP   O presidente palestino, o moderado Mahmoud Abbas, rival do Hamas e parceiro nas negociações de paz com Israel, denunciou o que chamou de "massacre" israelense em Gaza. Nos últimos dois dias, 23 palestinos foram mortos em bombardeios de Israel, entre eles um menino de 12 anos morto junto com o pai e um tio quando forças israelenses confundiram o veículo em que viajavam com o de militantes.   Foto: AP   Líderes israelenses deixaram claro que só suspenderão os bombardeios quando milicianos deixarem de lançar foguetes de fabricação caseira e disparar morteiros contra comunidades em Israel. O Hamas, que antes apenas não reprimia grupos militantes, passou agora a participar diretamente dos ataques. Segundo a BBC, mais de cem palestinos, a maioria deles militantes, teriam sido mortos por israelenses em Gaza dede que Israel e a Autoridade Palestina formalmente retomaram negociações de paz, no final de novembro. Há seis meses, o Hamas, que foi excluído das negociações - e as rejeita -, expulsou os militantes do movimento Fatah, liderados pelo presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, da Faixa de Gaza.

Tudo o que sabemos sobre:
Hamasrecrutamentosoldados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.