Hamas liberta 50 presos do Fatah por causa do Ramadã

Detidos "por razões de segurança" foram liberados para o mês sagrado dos muçulmanos

Efe,

19 de agosto de 2009 | 12h05

O movimento islâmico Hamas libertou nesta quarta-feira, 19, 50 membros da facção rival Fatah que estavam detidos em prisões da Faixa de Gaza, por ocasião do início em breve do mês sagrado muçulmano do Ramadã.

 

Os 50 presos do Fatah libertados "foram detidos por razões de segurança", afirma um comunicado divulgado pelo Ministério do Interior do Hamas, alinhado à afirmação do movimento islâmico de que não tem detidos políticos em suas prisões.

 

Também obtiveram a liberdade outros 50 presos que cumpriam penas por diferentes crimes, acrescenta a nota, que afirma que a libertação ocorreu após ter sido solicitada pelo Parlamento palestino.

 

O Hamas acusa o Fatah de ter mais de 900 partidários presos na Cisjordânia. Os dois movimentos estão em conflito desde que, em junho de 2007 e após obter a maioria absoluta nas eleições gerais do ano anterior, o Hamas tomou à força o controle da Faixa de Gaza e expulsou as forças leais ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) e líder do Fatah, Mahmoud Abbas.

 

As delegações das duas facções devem se reunir no próximo dia 25, no Cairo, para negociar a assinatura de um acordo de reconciliação que permita a realização de eleições palestinas em janeiro de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
HamasFatahRamadãGazaPalestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.