Hamas pede nova Intifada contra Israel após ataques

Khaled Mashaal diz que israelenses terão que beber 'do mesmo copo' que os palestinos estão bebendo agora

Efe,

28 de dezembro de 2008 | 00h08

O líder máximo do grupo palestino Hamas, Khaled Mashaal, convocou neste sábado, 27, seus seguidores para uma nova Intifada contra Israel após os ataques em Gaza, que deixaram pelo menos 208 mortos nas últimas horas. Veja também:Conheça a história do conflito entre Israel e palestinosSobe para 225 número de mortos em ataque de Israel em GazaOlmert diz que operação em Gaza pode levar 'mais tempo'Europa pede fim dos ataques; EUA culpam Hamas Itamaraty condena 'reação desproporcional' de IsraelAbbas pede ajuda; Liga Árabe convoca reunião de urgênciaReação palestina mata israelense; Hamas promete resistênciaAtaque israelense em Gaza espalha protestos no mundo árabeIrã enviará navio com ajuda para Gaza, diz TV estatalVeja imagens de Gaza após os ataques      Em sua convocação, que fez em entrevista exibida pela rede de televisão catariana Al Jazeera, Mashaal expressou a necessidade de responder "duramente" aos ataques das últimas horas contra Gaza, e desejou que Israel sinta na carne o sofrimento dos palestinos. Mashaal, que vive exilado em Damasco, disse que os israelenses terão que beber "do mesmo copo" que os palestinos estão bebendo agora pela série de bombardeios que atingiram a Faixa de Gaza neste sábado. "Convoco todos (os palestinos) para uma terceira Intifada" contra Israel, afirmou o líder do Hamas, que acrescentou que esses ataques incluirão operações suicidas. A Primeira Intifada ocorreu entre 1987 e 1993 e a Segunda foi lançada em setembro de 2000. Na entrevista, Mashaal fez um apelo pela unidade entre os palestinos para colocar fim a "este massacre" que a população de Gaza está sofrendo. Em Riad, onde se encontrava até esta noite de visita oficial, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, condenou "categoricamente" o ataque sobre Gaza e pediu a Israel para deter as ações "imediatamente", segundo disse à Agência Efe seu porta-voz Nabil Abu Rudaina. "Mahmoud Abbas condena de forma enfática a agressão israelense e pede a Israel que a detenha imediatamente", acrescentou o porta-voz. Líderes regionais fizeram apelos para uma reunião urgente dos países árabes a fim de analisar uma resposta perante o ataque israelense contra Gaza.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelataqueGaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.