Hamas quer limitar foguetes nas fronteiras de Gaza

O governo do Hamas na Faixa de Gaza pediuna quinta-feira aos militantes palestinos que deixem dedisparar foguetes e morteiros em postos fronteiriços usadospara trazer mantimentos de Israel para o território. Um porta-voz disse que as ações devem parar "para preservaro interesse do povo palestino", especialmente durante o mêsislâmico do Ramadã, dedicado ao jejum. Grupos militantes dizem que vão levar o pedido em conta,mas não pretendem parar de lançar foguetes contra Israeldurante o mês sagrado, que começou nesta semana. O principal posto fronteiriço da Faixa de Gaza está fechadodesde que o Hamas assumiu o controle da área, em junho, apósexpulsar as forças da facção Fatah. Mas Israel permite quegrupos humanitários usem postos menores, como os de KeremShalom, Nahal Oz, Erez e Sofa, para levarem comida, remédios,combustíveis e outros mantimentos básicos aos 1,5 milhão dehabitantes de Gaza. Os foguetes nesses postos obrigam as entidades asuspenderem temporariamente alguns carregamentos. Ainda não se sabe quais grupos militantes atenderão aosapelos do Hamas. Khader Habib, líder da Jihad Islâmica, afirmouque o grupo vai estudar a solicitação. Um ataque nesta semana feriu pelo menos 35 soldadosisraelenses num quartel junto à fronteira com Gaza, o que levoualguns membros do governo do premiê Ehud Olmert a cobraremrepresálias mais duras. Um grupo militante alinhado ao Hamas, chamado Comitês deResistência Popular, decidiu iniciar uma "Campanha da Morte",intensificando os disparos contra Israel durante o Ramadã. (Por Nidal al-Mughrabi)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.