Hussein Mala / AP
Hussein Mala / AP

Hezbollah acusa Israel por morte de comandante militar em Beirute

Hassan al-Laqqis tinha participado de batalhas contra rebeldes sunitas ligados à Al-Qaeda na Síria

O Estado de S. Paulo,

04 de dezembro de 2013 | 07h38

BEIRUTE - O grupo militante xiita libanês Hezbollah disse nesta quarta-feira,4, que um comandante da organização foi morto do lado de fora de casa em Beirute num ataque noturno, e culpou Israel.

Israel negou qualquer envolvimento na morte de Hassan al-Laqqis, que, segundo o Hezbollah, foi assassinado por volta de meia-noite no bairro de Hadath, sul da capital libanesa.

O Hezbollah, que travou uma guerra de 34 dias com Israel em 2006, enviou combatentes para a vizinha Síria em apoio ao presidente Bashar al-Assad na guerra civil contra rebeldes de maioria sunita. A intervenção no conflito sírio aumentou a tensão sectária dentro do Líbano.

Uma fonte ligada ao Hezbollah disse que Laqqis era um comandante militar que havia participado de batalhas na Síria. A fonte disse que Laqqis levou um tiro na cabeça disparado por uma arma com silenciador, no que afirmou ter sido uma operação profissional.

O Hezbollah descreveu Laqqis como "um dos líderes da resistência islâmica" contra Israel, que era alvo frequente do Estado judeu.

Ele integrava o Hezbollah desde os primeiros dias do grupo no anos 1980, quando a guerrilha foi formada com apoio do Irã para combater tropas israelenses que ocupavam o sul do Líbano. Um filho de Laqqis foi morto na guerra com Israel em 2006, segundo o Hezbollah. / REUTERS

 

Tudo o que sabemos sobre:
HezbollahLíbanoSíriaIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.