Hezbollah diz que pode matar dezenas de milhares de israelenses

O grupo libanês Hezbollah, apoiado pelo Irã, afirmou nesta sexta-feira que poderia matar dezenas de milhares de israelenses ao atingir alvos específicos em Israel com o que descreveu como foguetes de precisão.

Reuters

17 de agosto de 2012 | 14h40

"Digo aos israelenses que há uma certa quantidade de alvos, não um número grande...que pode ser atingida com foguetes de precisão...os quais nós temos", afirmou o secretário-geral do Hezbollah, Hassan Nasrallah, durante um discurso televisionado.

Ele disse que não iria falar quais eram os alvos e não disse se os foguetes eram armas recém adquiridas.

Nasrallah afirmou que seu grupo poderia atacar um número limitado de alvos em Israel que, caso fossem atingidos, provocariam mortes em massa, uma possível referência às instalações nucleares israelenses, sem esclarecer o que disse.

Israel, o único país do Oriente Médio que não é signatário do Tratado de Não Proliferação Nuclear, nunca confirmou ou negou ter armas nucleares.

"Atingir estes alvos com um pequeno número de foguetes tornará...a vida de milhares de sionistas em um verdadeiro inferno, e nós podemos falar em dezenas de milhares de mortos", disse Nasrallah.

O secretário-geral falou na ocasião do Dia de Jerusalém, marcado anualmente na última sexta-feira do mês do Ramadã, de acordo com a tradição estabelecida pelo aiatolá Ruhollah Khomeini, o falecido supremo líder do Irã.

(Reportagem de Tom Perry)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBANOHEXBOLLAHISRAEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.