Hezbollah escolhe sucessor de comandante assassinado

O grupo libanês Hezbollah jáescolheu o sucessor de seu comandante Imad Moughniyah,assassinado na Síria nesta semana, afirmou na sexta-feira ummembro das forças de segurança do Líbano. Segundo essa fonte, a nomeação ocorreu horas depois de tersido anunciada a morte de Moughniyah, na explosão de umcarro-bomba em Damasco, na terça-feira. O membro das forças desegurança libanesas não identificou o homem agora responsávelpor comandar o bem armado exército do Hezbollah. Uma investigação conjunta sobre o atentado, da qualparticipam os sírios, os iranianos e o Hezbollah, já estavaavançada e suspeitos de participação no ataque foram detidos nacapital da Síria, afirmou a fonte. O grupo guerrilheiro e seu maior aliado, o Irã, acusaramIsrael de ter matado Moughniyah, que constava de uma lista dosEstados Unidos com os criminosos mais procurados do mundo. O governo israelense negou ter participado da ação, apesarde o Mossad (serviço secreto de Israel) caçar o militante haviaduas décadas. "Um sucessor de Imad Moughniyah foi nomeado, o que énatural", disse a fonte, que não quis ter sua identidaderevelada. "É assim que o Hezbollah funciona. Eles agemrapidamente para escolher os sucessores de seus dirigentesmortos." O membro dos serviços de segurança libaneses disse que osucessor era um dos dois nomes aventados por meios decomunicação de Israel. O líder do Hezbollah, Sayyed HassanNasrallah, ameaçou lançar uma "guerra aberta" contra osisraelenses em retaliação pelo assassinato. Moughniyah era o encarregado do órgão de segurança doHezbollah. Ele ficou famoso dentro do grupo devido a uma sériede ataques contra alvos israelenses e ocidentais ocorrida noLíbano, na década de 1980.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.