Hillary diz que EUA deixarão conversas com o Irã se esgotem

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, sinalizou nesta sexta-feira que os norte-americanos irão permitir que as conversas com o Irã sobre seu programa nuclear se esgotem antes de avaliar novas sanções contra Teerã.

REUTERS

30 de outubro de 2009 | 11h52

Na quinta-feira o Irã propôs mudanças a um acordo esboçado pela ONU sobre combustível nuclear, fazendo exigências que pareceram desafiar as bases de um acordo com os Estados Unidos, França e Rússia.

Perguntada durante entrevista na CNN se era hora de parar de conversar com Teerã e agir em relação às sanções, Hillary disse: "Estamos trabalhando com a IAEA (Agência Internacional de Energia Atômica), com a França, Rússia... que estão unidos e mostrando determinação em responder à réplica iraniana e procurando esclarecimentos. Assim, deixarei esse processo se esgotar".

Ela não disse sob quais condições os Estados Unidos avaliarão novas sanções ao Irã.

O jornal iraniano pró-governo Javan disse na quinta-feira que o país quer que envios de urânio de baixo enriquecimento -- para conversão no exterior em combustível para o reator de pesquisa de Teerã -- acontençam em etapas, não de uma vez. O Irã quer ainda importações simultâneas de combustível com alto enriquecimento de outros países para a mesma usina.

(Reportagem de Will Dunham)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAHILLARYCONVERSAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.