Homem acusado de matar 16 mulheres e meninas é enforcado no Irã

Réu havia confessado cirmes que cometeu entre 2004 e 2008 em um porto iraniano

Efe

13 de novembro de 2010 | 18h25

TEERÃ - O Poder Judiciário iraniano executou neste sábado, 13, Farid Baghlani, um assassino em série que confessou ter matado 16 mulheres e meninas entre 2004 e 2008 no porto iraniano de Abadan, informou a agência de notícias local "Fars".

 

Segundo a agência, a execução aconteceu ao amanhecer no pátio da prisão de Ahvaz, cidade de maioria árabe situada no sudoeste do país.

 

O réu tinha confessado seus crimes durante o julgamento, ao longo do qual alegou um "ódio às mulheres", lembrou a "Fars", que revelou que as famílias das vítimas distribuíram balas e doces no local dos crimes neste sábado para comemorar o enforcamento.

 

No Irã, rege uma interpretação da lei islâmica ou Sharia que condena à pena capital os assassinos, estupradores, narcotraficantes e aqueles que atentem contra a lei de Alá e a República Islâmica.

 

Segundo estatísticas da Anistia Internacional, o Irã é o segundo país do mundo em número de execuções, com quase 300 enforcamentos ao ano, atrás apenas da China.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.