Homem-bomba mata 13 recrutas do Exército iraquiano em Bagdá

Nenhum grupo assumiu o ataque, que ocorreu em meio a ofensiva contra Al-Qaeda

Reuters

09 de janeiro de 2014 | 08h51

Um homem-bomba matou 13 recrutas iraquianos e feriu mais de 30 pessoas em Bagdá nesta quinta-feira, 10, disse a polícia, em um ataque contra homens que responderam ao apelo do governo por voluntários para ajudar na luta contra militantes da Al-Qaeda na província de Anbar.

A polícia disse que um homem com colete de explosivos detonou a si mesmo em meio a recrutas que registravam seus nomes no pequena pista aérea de Muthana, agora usada pelo Exército, em Bagdá.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade imediata pelo ataque, ocorrido um dia após o primeiro-ministro Nuri al-Maliki prometer erradicar a Al-Qaeda do Iraque.

Em um pronunciamento transmitido pela TV na quarta-feira, o premiê previu vitória enquanto o Exército se preparava para lançar uma ofensiva contra militantes islâmicos sunitas que tomaram o controle de partes da cidade de Falluja.

Combatentes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Isil ), grupo afiliado à Al-Qaeda também ativo na Síria, tomou na semana passada o controle de delegacias em Falluja e outras cidades na província iraquiana de Anbar, no oeste do país.

O governo pediu na semana passada que voluntários se juntassem aos esforços militares contra a Al-Qaeda. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEBOMBAMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.