Homens armados atacam cerca de 30 caminhões da Otan no Paquistão

Suspeita-se que militantes sejam do Taleban; incêndios a comboios da Otan têm aumentado

Reuters,

08 de outubro de 2010 | 22h48

 

QUETTA- Homens armados incendiaram na noite dessa sexta-feira, 8 (manhã de sábado pelo horário local) cerca de 30 caminhões-tanque no sudoeste do Paquistão, com combustível para tropas da Otan no Afeganistão, afirmou um oficial do governo local.

 

Cerca de 20 homens armados colocaram fogo em ao redor de 30 caminhões-tanque estacionados em um restaurante de beira de estrada na cidade fronteiriça de Chaman, em um ataque na madrugada, de acordo com o oficial local Naeem Sherwani.

 

"Os agressores primeiro dispararam tiros, e depois lançaram pequenos foguetes nos caminhões. De 28 a 29 tanques pegaram fogo", disse o funcionário à Reuters.

 

Os suspeitos, supostos militantes do Taleban, têm aumentado os atentados contra os comboios que levam suprimentos às forças da Otan desde um ataque das tropas americanas ao noroeste do Paquistão em 30 de setembro, que deixou dois soldados paquistaneses mortos.

 

Em nota, a embaixada disse que os militares a bordo de helicópteros dos EUA confundiram os soldados com insurgentes que estavam sendo perseguidos, em 30 de setembro. O governo paquistanês não se manifestou sobre essa conclusão.

 

O incidente causou tensão entre os dois países, levando o governo paquistanês a bloquear na semana passada as rotas de suprimento da Otan, oficialmente alegando razões de segurança.

 

Analistas dizem que a possibilidade de fechar as rotas de suprimento dá poder de barganha para o Paquistão, embora o governo local costume atribuir as interdições a questões de segurança, e não à pressão política.

 

As tensões podem se agravar caso Washington exija mais cooperação paquistanesa antes do início da desocupação gradual do Afeganistão, a partir de julho de 2011, quando certamente surgirão preocupações com a estabilidade afegã.

 

Risco na Europa

 

Analistas dizem que os EUA intensificaram seus bombardeios teleguiados nas últimas semanas, aparentemente em resposta a sinais de que militantes do Paquistão estariam tramando atentados sangrentos na Europa.

 

Uma fonte paquistanesa de inteligência disse que um cidadão britânico morto em um desses bombardeios tinha ligações com um militante que tentou explodir um carro-bomba neste ano na Times Square, em Nova York -- incidente pelo qual esse militante, chamado Faisal Shahzad, foi sentenciado à prisão perpétua na terça-feira nos EUA.

 

A fonte paquistanesa disse que o britânico morto, Abdul Jabbar, estaria montando uma "sucursal" do Taleban na Grã-Bretanha.

 

"Ele tinha algumas ligações com Faisal Shahzad, mas a natureza desses laços não está clara", disse o funcionário.

 

Autoridades da Europa e EUA dizem que preocupações envolvendo cerca de cem muçulmanos da Alemanha que viajaram do seu país para regiões tribais do Paquistão também contribuem com os alertas.

 

No começo de setembro, o grupo Tehrik-e-Taleban Pakistan (TTP) prometeu realizar "muito em breve" atentados nos EUA e na Europa. A facção já havia feito ameaças semelhantes anteriormente, mas o frustrado atentado de Shahzad na Times Square foi o complô mais próximo de ser realizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.