Homens armados seqüestram franceses de ONG no Afeganistão

Dois franceses da Ação Contra a Fome são capturados no sul do país após grupo render seguranças

Efe,

18 de julho de 2008 | 17h48

Dois franceses da ONG Ação Contra a Fome (ACF) foram seqüestrados nesta sexta-feira, 18, no sul do Afeganistão por pessoas armadas que os levaram do local onde dormiam. Os dois franceses foram capturados em uma casa da localidade de Nili, na província de Day Kundi, onde a equipe da ONG dormia. Um grupo de pessoas armadas entrou no local, após render os guardas que estavam do lado de fora, e os levaram em vários veículos, explicou a ACF em comunicado. A associação, que decidiu suspender todas as operações no Afeganistão, acrescentou que, segundo as informações divulgadas, os dois voluntários ainda estavam vivos. A organização também indicou que tinha criado uma célula de crise em Paris e Cabul, e fazia de tudo para conseguir "sua libertação o mais rapidamente e nas melhores condições possíveis." A ACF, que não especificou os nomes dos franceses, insistiu em que em uma situação que "já é extremamente complexa e sensível", sua vontade é oferecer "uma comunicação reduzida para preservar a segurança dos dois voluntários e não criar obstáculos aos contatos em andamento." O Ministério de Assuntos Exteriores francês confirmou o seqüestro dos dois homens e indicou que se mobilizou "para obter a libertação no prazo mais rápido", e que está "em contato permanente" com as autoridades afegãs, com os responsáveis da ONG e com as famílias. Em comunicado, o ministério lembrou que nestes casos "a discrição é indispensável para a eficácia", e explicou que o chanceler Bernard Kouchner pediu que se ative imediatamente o novo centro de crise do departamento. Já a ACF condenou o que qualificou de "um ato criminoso que, mais uma vez, afeta a integridade dos atores humanitários e põe em risco a assistência à população civil."

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.