Homens armados tiram jornalista iraquiana de carro e a matam

A polícia afirmou que Serwa Abdul-Wahab, por volta dos 30 anos, estava indo para o trabalho

REUTERS

04 de maio de 2008 | 12h36

Homens armados mataram umarepórter iraquiana no domingo depois de retirá-la do carro naregião de Mosul, norte do Iraque, uma cidade notoriamenteviolenta onde jornalistas geralmente são alvos. A polícia afirmou que Serwa Abdul-Wahab, por volta dos 30anos, estava indo para o trabalho quando homens armados aforçaram a sair do táxi no leste de Mosul, a 390 quilômetros aonorte de Bagdá, e atiraram uma vez em sua cabeça. As primeiras informações eram conflituosas sobre para quemela trabalhava e os policiais não foram imediatamente capazesde afirmar o motivo dela ter sido atacada. Policiais e colegasjornalistas afirmaram que ela era uma colaboradora do sitewww.muraslon.org, um site iraquiano de notícias. O Iraque, que tem visto um crescimento significativo damídia depois da invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003,é o lugar mais perigoso do mundo para um jornalista trabalhar,segundo pesquisa do Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ),em Nova York. Jornalistas iraquianos têm sido visados por causa de seutrabalho no fogo cruzado dos muitos conflitos no Iraque. Amaior parte das redes de TV e jornais no país são de posse depolíticos, seitas religiosas ou grupo étnicos. O CPJ estima que 127 jornalistas, tanto iraquianos quantoestrangeiros, foram mortos desde 2003 no país. Esses dados nãoincluem Abdul-Wahab.Homens armados mataram o chefe da maior organizaçãojornalística do Iraque, Shihab al-Tamimi, 74, num ataque a seucarro em Bagdá em fevereiro. Ao todo, três jornalistas forammortos este ano, segundo o CPJ. Numa conta feita pela Reuters,contudo, este número chega a cinco. O CPJ, que coloca a guerra do Iraque como o conflito maismortal para jornalista na história recente, afirmou emrelatório na semana passada que o país possui o pior recorde nasolução de assassinatos de jornalistas. São 79 mortes nãosolucionadas até o memento.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEJORNALISTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.