Iêmen atribui a Al-Qaeda atentado contra embaixador britânico

Reino Unido decidiu fechar temporariamente sua embaixada por temer outros ataques

EFE

26 de abril de 2010 | 08h36

SANA - O Ministério do Interior do Iêmen responsabilizou a Al-Qaeda pelo atentado realizado nesta segunda-feira, 26, por um suicida contra o embaixador britânico em Sana, Tim Torlot.

 

O suicida, vestido com um cinto de explosivos, interceptou o carro de Torlot perto da zona de Noqm da capital árabe, às 8h (2h, Brasília).

 

Segundo o Ministério, o corpo do terrorista ficou desmembrado e sua cabeça foi encontrada no telhado de uma casa, a vários metros do lugar da explosão.

 

O Ministério assegurou que o atentado leva o selo da Al-Qaeda e confirmou que o embaixador britânico e seus acompanhantes saíram ilesos do ataque.

 

A Chancelaria britânica anunciou que sua embaixada em Sana permanecerá fechada e pediu aos britânicos que estejam no Iêmen que tentem não chamar a atenção e fiquem atentos.

 

Estados Unidos e Reino Unido fecharam  emporariamente suas embaixadas no Iêmen em janeiro passado perante os temores de um possível atentado da Al-Qaeda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.