Incêndio de gasoduto deixa 28 mortos na Arábia Saudita

Cinco vítimas são trabalhadores da Saudi Aramco, enquanto os outros são operários terceirizados

Efe,

18 de novembro de 2007 | 11h46

Pelo menos doze pessoas permanecem desaparecidas após o incêndio em um gasoduto perto da central de tratamento de gás de Hawiya (Arábia Saudita), no qual morreram 28 pessoas, segundo o ministro do Petróleo Saudita, Ali al-Nuemi.   A companhia de gás Saudi Aramco, proprietária das instalações, informou em comunicado que cinco dos mortos são funcionários da empresa, enquanto os outros são operários terceirizados pela Companhia.   Segundo a Saudi Aramco, o incêndio começou nesta madrugada em um gasoduto no leste do país onde são realizados trabalhos de Manutenção. A central de Hawiya é uma das principais da Arábia Saudita, com uma produção de cerca de 310 mil barris de gás ao dia.   Segundo a companhia, o acidente ocorreu quando operários da Saudi Aramco estavam colocando conexões no tubo para a instalação de um novo conduto.   O comunicado informou que foram realizados "os ajustes operacionais necessários" para normalizar as funções do gasoduto e garantir a continuidade do fornecimento.   Matéria ampliada às 17h47

Tudo o que sabemos sobre:
Saudi AramcoGasodutoArábia Saudita

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.