Incêndio em ambulatório na Síria mata pelo menos 24 civis

O incêndio aconteceu pela explosão de um bujão de gás, que provocou a explosão de outros de oxigênio, segundo esta ONG

O Estado de S. Paulo

31 de maio de 2015 | 14h18

Cairo - Pelo menos 24 civis, a maioria mulheres e crianças, morreram neste domingo em um incêndio em um ambulatório da cidade de Qamishli, na província nordeste síria de Al Hasaka.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos explicou que entre as vítimas mortais há médicos e enfermeiros e que o fogo deixou também vários feridos, alguns em estado grave.

O incêndio aconteceu pela explosão de um bujão de gás, que provocou a explosão de outros de oxigênio, segundo esta ONG.

Por sua vez, a televisão estatal síria apontou que o incêndio em um jardim vizinho ao ambulatório causou a explosão de um depósito de gasóleo do centro médico, situado no bairro de Maisalun.

Segundo o diretor do hospital de Qamishli, Omar al Akub, só em seu centro foram recebidos 19 corpos e vários feridos.

A Síria é palco de uma guerra civil desde março de 2011, que já deixou mais de 220 mil mortos, segundo a ONU./EFE

Tudo o que sabemos sobre:
AcidenteSíriaincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.