Interpol ordena prisão de iranianos por ataque em Buenos Aires

A Interpol emitiu nestaquarta-feira mandados de prisão contra seis iranianos acusadosdo ataque de 1994 a um centro judaico em Buenos Aires quedeixou 85 mortos. Apesar das pressões diplomáticas do Irã, 66 por cento dosrepresentantes na assembléia anual do conselho da políciainternacional, em Marrocos, votaram a favor da emissão dosmandados de extradição de pessoas foragidas. No ano passado, a Argentina fez um pedido internacionalpara a prisão do ex-presidente iraniano Akbar HashemiRafsanjani e oito outros iranianos sob a acusação de que elesteriam planejado o ataque. A Interpol afirmou em março que divulgaria seus própriosmandados de prisão contra seis pessoas, deixando Rafsanjani defora. O Irã tem negado repetidamente qualquer ligação com oataque e diz que a Interpol corre risco de ser tragada por umadisputa política, deixando de lado seu trabalho de polícia. Teerã culpa os EUA e Israel por tentar implicar a RepúblicaIslâmica no ataque. Em um comunicado após a votação, Jackie Selebi, presidenteda Interpol, afirmou que Argentina e Irã foram tratados deforma justa e imparcial, mas uma autoridade da delegaçãoiraniana repudiou a atitude. "É uma votação política e não é aceitável para nós", disseum delegado iraniano, que pediu para não ser identificado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.