Investigador diz estar perto de identificar responsáveis por morte de Arafat

Um investigador palestino disse nesta terça-feira, após quase uma década de trabalho, que em breve apontará os nomes dos supostos responsáveis pela morte do líder Yasser Arafat, ocorrida em 2004.

Reuters

03 de dezembro de 2013 | 10h16

Arafat, ex-guerrilheiro e primeiro presidente da Autoridade Palestina, morreu após uma repentina enfermidade, que começou quando ele estava sitiado por forças israelenses na sede de governo palestino, em Ramallah, na Cisjordânia ocupada.

Há anos muitos palestinos acusam Israel de tê-lo assassinado --o que o Estado judeu nega terminantemente--, mas a investigação oficial encabeçada por Tawfiq Tirawi ainda não resultou em nenhuma prova.

Em novembro, um laboratório forense suíço disse que os ossos de Arafat continham uma quantidade excepcional de polônio, um elemento radioativo letal, o que "ampara moderadamente" a hipótese de que ele tenha sido envenenado.

A viúva de Arafat disse recentemente que suspeita de pessoas ligadas ao governo palestino, uma declaração que gerou tensões entre as autoridades.

"Prometo que a próxima entrevista coletiva será a última, e vamos trazer à luz do dia todos os que perpetraram, participaram ou conspiraram no assunto", disse Tirawi a uma TV local. "Estamos nos últimos 15 minutos da investigação."

(Reportagem de Noah Browning e Ali Sawafta)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDARAFATMORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.