Irã acusa EUA e Europa de manter 11 de seus cidadãos detidos

Cientista nuclear, ex-vice-ministro da Defesa e 'homem de negócios' estariam entre os presos

estadao.com.br,

10 de dezembro de 2009 | 10h52

Os meios de comunicação do Irã divulgaram nesta quinta-feira, 10, uma lista de 11 iranianos presos ou "sequestrados" que estariam sendo mantidos nos EUA ou na Europa a pedido do governo americano, segundo a agência AFP.

 

Na terça-feira, o ministério de Relações Exteriores acusou Washington de ter sequestrado o cientista nuclear Shahram Amiri na Arábia Saudita e afirmou que um total de 11 iranianos estavam detidos por iniciativa dos EUA.

 

Além de Amiri, estão na lista nomes como o do ex-vice-ministro de Defesa Ali Reza Asgari, desaparecido na Turquia em fevereiro de 2007, e Amir Hosseis Ardebili, um "homem de negócios" desaparecido há dois anos na Geórgia

 

Washington reconheceu no dia 2 de dezembro que Ardebili estava detido por tráfico de armas para o Irã, mas não se pronunciou a respeito de Amiri e Asgari.

 

A imprensa iraniana cita também os nomes de outros cinco cidadãos que estariam nos EUA, sendo que quatro deles "nem teriam sido julgados". Além dos presos nos EUA, foram relacionados três detentos na Europa - um comerciante detido na Alemanha, um engenheiro detido na França e um ex-embaixador do Irã na Jordânia preso no Reino Unido".

Tudo o que sabemos sobre:
prisãoEUAIrãEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.