Irã adverte que não vai suspender enriquecimento de urânio

Declaração acontece no mesmo dia em que representante da UE apresentará um pacote de incentivos ao país

Efe,

14 de junho de 2008 | 05h45

O Governo iraniano declarou neste sábado, 14, que não tem nenhuma intenção de suspender o enriquecimento de urânio, no dia em que o alto representante de Segurança e de Política Externa da União Européia (UE), Javier Solana, apresentará um pacote de incentivos ao país. O porta-voz do Governo iraniano, Gholam-Hossein Elham, assegurou que no pacote de propostas que será apresentado por Solana "não se coloca a questão da suspensão", mas que "se esta chegasse a ser cogitada, não seria sequer estudada". "A postura da República Islâmica é muito clara", afirmou em sua entrevista coletiva semanal Elham, reiterando que "não há nada a discutir" caso se ponha como condição a suspensão do enriquecimento de urânio. Quanto à possibilidade de uma reunião entre Solana e o presidente Mahmoud Ahmadinejad, o porta-voz afirmou que Solana vai ao Irã "somente para entregar o conjunto de propostas". Com estas declarações, o Irã fecha as portas para uma possível saída imediata para a crise, como Solana desejava propor neste sábado. Solana declarou na sexta-feira, 13, antes de sair de Bruxelas, que sua proposta havia sido feita para "apoiar o Irã no desenvolvimento de um programa de energia nuclear moderno que responda aos interesses essenciais do país". Sem entrar em detalhes, o alto representante de Segurança e de Política Externa disse que seu pacote contém ofertas sobre "relações políticas, cooperação econômica e outros âmbitos de interesse mútuo". No entanto, as possibilidades de o Irã aceitar o conjunto de incentivos apresentado por Solana são vistas com ceticismo. Na quarta-feira passada, o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Stephen Hadley, reconheceu que "existiam poucas possibilidades de que o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, aceitasse o conjunto de incentivos".

Tudo o que sabemos sobre:
Irãurânioprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.