Irã adverte sobre limitar cooperação com a AIEA

Para Teerã, aliança deve acontecer de forma que não obrigue país a colocar limitações

Efe

01 de junho de 2008 | 16h17

O Governo iraniano afirmou hoje que a cooperação entre o Irã e o Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) deve acontecer de forma que não obrigue Teerã a colocar limitações.   A declaração foi feita pelo porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Mohamad Ali Hosseini, em sua habitual entrevista coletiva dominical, informou a agência iraniana "Mehr".   O responsável iraniano respondia assim ao relatório sobre as atividades nucleares do Irã divulgado recentemente pelo diretor da AIEA, o egípcio Mohamed ElBaradei.   De acordo com Hosseini, o relatório foi preparado "sob as pressões políticas de alguns países". Nesse contexto, o porta-voz disse que, com exceção de alguns pontos que revelam a pressão de alguns Estados na elaboração deste dossiê, o resto não mostra pontos negativos.   "De qualquer forma, não há nenhum ponto negativo documentado neste relatório que possa provar algo contra as pacíficas atividades nucleares do Irã", ressaltou Hosseini. Além disso, afirmou que o caso nuclear do Irã "retomou seu processo normal" e que, para a República Islâmica, este assunto já encerrou.   "Acreditamos que, se não tivesse sido pelas contínuas presões de alguns países, o diretor da AIEA teria apresentado um relatório melhor", disse Hosseini.  

Mais conteúdo sobre:
IrãAIEATeerãnuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.