Irã ajuda Síria a reprimir protestos, dizem EUA e europeus

Autoridades norte-americanas e europeias acreditam que o Irã esteja ajudando a Síria a reprimir os protestos do último ano, oferecendo para isso equipamentos de vigilância eletrônica, aviões teleguiados e tecnologia para impedir a articulação dos ativistas via redes sociais.

REUTERS

23 de março de 2012 | 19h34

Todas as autoridades falaram sob anonimato.

"No último ano, o Irã ofereceu assistência de segurança a Damasco para ajudar a sustentar Assad. Teerã nos últimos meses tem ajudado o regime sírio com assistência letal - incluindo rifles, munição e outros equipamentos militares - para ajudá-lo a derrubar a oposição", disse uma fonte norte-americana.

"O Irã tem fornecido a Damasco ferramentas de monitoramento para ajudar na repressão do regime à oposição. Também partilha técnicas de vigilância e perturbação da internet", prosseguiu a fonte.

Esse funcionário acrescentou que Teerã enviou a Damasco "aviões não-tripulados que Damasco está usando junto com a sua própria tecnologia para monitorar as forças da oposição".

Além disso, autoridades iranianas teriam viajado a Damasco para dar conselhos ao governo local.

As autoridades dos EUA e Europa disseram, no entanto, que a sobrevivência do governo sírio não depende totalmente da ajuda de Teerã.

As fontes concordam que o presidente Bashar al Assad mantém um sólido controle sobre a Síria, que seus adversários estão desorganizados demais, e que o atual regime ainda pode se manter por anos.

"Nos atuais níveis, a ajuda iraniana é importante, mas realmente não vai mudar o jogo do conflito como um todo", observou o funcionário norte-americano.

O Irã há décadas é aliado da Síria, que ajuda Teerã a canalizar ajuda financeira e armas para o grupo xiita libanês Hezbollah.

Durante os protestos contra supostas fraudes na eleição presidencial iraniana de 2009, maiores manifestações no país desde a Revolução Islâmica de 1979, as autoridades do Irã interromperam o funcionamento de redes sociais e de telefonia celular. Acredita-se que a repressão a dissidentes tenha se intensificado desde então.

Um funcionário europeu disse que os iranianos estão fornecendo equipamentos e softwares a agências sírias de segurança, para ajudar o regime a atrapalhar a organização de protestos e a difusão de mensagens da oposição para fora do país.

As autoridades dizem também que a síria obteve algumas tecnologias de vigilância de fornecedores europeus.

Tudo o que sabemos sobre:
IRASIRIAPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.