Irã ajudou a selar trégua em Bagdá, diz parlamentar iraquiano

O Irã teve uma participação fundamentalna trégua selada por facções xiitas do Iraque colocando fim asete semanas de conflito no reduto, em Bagdá, do clérigoMoqtada al-Sadr, afirmou na segunda-feira um importanteparlamentar xiita. Segundo Ali al-Adeeb, membro da aliança xiita que comanda ogoverno do Iraque atualmente, uma delegação iraquiana quevisitou Teerã quase duas semanas atrás pediu ajuda aosiranianos, que teriam influência sobre o movimento de Sadr. Os comentários do parlamentar, considerado uma figurapróxima do primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, apontampara o peso cada vez maior do Irã, um Estado xiita, dentro dopaís vizinho e podem causar desconforto nos EUA. O acordo que encerrou os combates entre as forças desegurança e membros do grupo de Sadr, um clérigoanti-americano, veio a público no sábado. O anúncio apareceudepois de negociações entre a aliança governista xiita e omovimento político de Sadr, que ocupa algumas cadeiras noParlamento. "Os iranianos responderam de forma positiva aos pedidosfeitos pela delegação. Eles repassaram esses pedidos aoslíderes sadristas porque possuem uma influência específicasobre esse pessoal", disse à Reuters Adeeb, que integrou adelegação iraquiana. O parlamentar não especificou se as autoridades iranianasconversaram com o clérigo, que, segundo as Forças Armadas dosEUA, moraria no Irã, onde estaria realizando estudos avançadossobre o islamismo. O governo norte-americano, que critica o Irã por conta deseu programa nuclear, responsabilizou membros mais radicais damilícia Exército Mehdi, de Sadr, pela violência verificada nobairro Sadr City, reduto do clérigo em Bagdá. Segundo os EUA, esses homens são armados, treinados ecusteados pelo Irã. O governo iraniano nega as acusações e dizque a violência no Iraque advém da presença militarnorte-americana. Adeeb afirmou que a delegação reuniu-se com políticos eautoridades da área de segurança iranianos para discutir comorestabelecer a ordem em Sadr City. Os combates iniciaram-sequando Maliki lançou uma operação militar contra as milícias,no final de março. O parlamentar disse que, após a delegação iraquiana terregressado a Bagdá, no começo de maio, foram realizadasnegociações com o movimento político de Sadr. Essas discussõesresultaram no acordo anunciado no sábado. "Às negociações realizadas no Irã, seguiram-se maisnegociações aqui em Bagdá com representantes do blocosadrista", afirmou. Questionado sobre se acreditava que os iranianos haviampressionado Sadr para aceitar o acordo, Adeeb respondeu: "Eunão quero falar em pressão. Mas os iranianos têm seu ponto devista. Nós lhes dissemos que o fim da violência beneficiariatodos os envolvidos no Iraque". (Reportagem adicional de Fred Dahl em Teerã)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.