Irã anuncia instalação de novas máquinas para enriquecer urânio

País diz que processo será mais rápido, e ressaltou o uso 'pacífico' de seu programa nuclear

REUTERS

19 de julho de 2011 | 07h21

TEERà- O Irã está instalando novas máquinas para o enriquecimento de urânio para acelerar o progresso de seu programa nuclear, informou o Ministério das Relações Exteriores da República Islâmica nesta terça-feira, 18, num desdobramento que deve aumentar as preocupações do Ocidente com os objetivos de Teerã.

O porta-voz da chancelaria iraniana Ramin Mehmanparast pareceu confirmar uma reportagem da Reuters na semana passada que informou que o Irã estava instalando dois modelos mais novos e avançados de centrífugas, usadas para refinar urânio em larga escala e testando os equipamentos em uma unidade de pesquisa.

Se o Irã conseguir implementar com sucesso as novas máquinas, o país pode encurtar significativamente o tempo necessário para acumular material que pode ser usado tanto para fins civis quanto militares, se processado num grau maior.

"Ao instalar as novas centrífugas, progresso está sendo feito com mais velocidade e melhor qualidade", disse Mehmanparast, acrescentando que a medida mostra que o Irã está tendo sucesso em sua "atividade nuclear pacífica".

Mehmanparast disse que o Irã informou a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) sobre a instalação das centrífugas.

"A agência está ciente que nossas atividades nucleares pacíficas estão progredindo... a instalação é uma confirmação do sucesso da República Islâmica no campo nuclear", disse.

Há anos o Irã tenta desenvolver centrífugas com capacidade várias vezes superior às do modelo IR-1, da década de 1970, que atualmente usa em suas atividades nucleares sensíveis.

Os Estados Unidos e seus aliados acusam o Irã de tentar desenvolver bombas sob o disfarce de seu programa nuclear. O Irã nega, e afirma que sua tecnologia nuclear tem o objetivo de produzir eletricidade para atender sua crescente demanda doméstica.

Tudo o que sabemos sobre:
IRANUCLEARNOVASMAQUINAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.