Irã barra dois inspetores da ONU

O Irã impediu dois inspetores nucleares da ONU de entrarem no país, disse um alto funcionário na segunda-feira, complicando ainda mais a disputa internacional em torno das ambições nucleares de Teerã.

HOSSEIN JASEB, REUTERS

21 de junho de 2010 | 15h49

O Conselho de Segurança da ONU aprovou no dia 9 uma quarta rodada de sanções ao país por causa da sua recusa em abandonar o enriquecimento de urânio. Os EUA e seus aliados suspeitam que o Irã esteja tentando desenvolver armas nucleares. Teerã nega.

O chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, disse que dois inspetores foram declarados "personae non gratae" por causa um relatório "infiel" à realidade, apresentado na semana passada à Agência Internacional de Energia Nuclear (AIEA, um órgão da ONU).

Nas declarações divulgadas pela agência Isna, Salehi não cita o nome ou a nacionalidade dos inspetores, nem quais elementos do relatório estariam errados. Ele acrescentou que Teerã pediu à AIEA que substitua esses inspetores.

A AIEA não se manifestou, mas um diplomata confirmou que Teerã notificou a agência sobre a decisão.

Em seu último relatório sobre o Irã, em maio, a AIEA dizia que o país está preparando equipamentos adicionais para enriquecer urânio até níveis mais elevados, e que continua a acumular material nuclear.

O texto de nove páginas dizia que o Irã não estava esclarecendo dúvidas da agência sobre um possível componente militar do seu programa atômico.

Os EUA disseram que esse relatório confirmava o desrespeito do Irã pelas regras internacionais e justificava uma quarta rodada de sanções da ONU ao país, que acabaram sendo aprovadas.

O Irã qualificou as sanções de ilegais, e parlamentares alertaram que elas poderiam perturbar as relações do governo com a AIEA.

Salehi disse à Irna que "o Irã na semana passada anunciou que esses dois (inspetores) não teriam direito de entrar no Irã por terem apresentado informações ... erradas, além de revelar informações sigilosas antes do momento oficial adequado".

"O relatório deles era profundamente infiel (aos fatos) e pedimos que jamais mandem esses dois inspetores para o Irã, e em vez disso destine dois outros",disse Salehi.

Diplomatas dizem que o Irã pode estar preocupado com uma disputa envolvendo alguns equipamentos nucleares que, segundo inspetores, teriam desaparecido de um local em Teerã.

Tudo o que sabemos sobre:
IRABARRAINSPETORES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.