Irã busca material para bomba nuclear, dizem documentos dos EUA

O Irã vem desenvolvendo contatos com mais de 30 países para adquirir tecnologia, equipamento e matérias-primas necessárias para a construção de uma bomba nuclear, disse um jornal norueguês neste domingo, citando documentos diplomáticos dos Estados Unidos.

REUTERS

16 de janeiro de 2011 | 14h53

O jornal Aftenposten disse que, segundo os documentos, obtidos pelo WikiLeaks, mais de 350 empresas e organizações iranianas estiveram envolvidas na busca de tecnologia nuclear e de mísseis entre 2006 e 2010.

O Irã afirma que seu programa nuclear tem fins puramente pacíficos, mas o Ocidente suspeita que tenha o objetivo de desenvolver capacidade de armas.

"Durante anos, o Irã esteve trabalhando sistematicamente para adquirir partes, equipamentos e tecnologia necessárias para desenvolver tais armas, uma violação das sanções das Nações Unidas contra o programa nuclear e de mísseis do país", disse o Aftenposten.

O jornal disse ter todos os 250 mil documentos norte-americanos vazados pelo WikiLeaks, a maioria ainda não foram publicada, e afirmou que o material será divulgado gradualmente.

Ainda conforme a publicação, fontes disseram que o Irã estaria em uma corrida para desenvolver armas nucleares antes que sua já debilitada economia ceda às sanções. "A corrida existe entre a bomba e o colapso financeiro", disse um especialista nuclear francês, segundo trecho de documento divulgado pelo jornal.

"O Irã tem um estoque doméstico limitado de urânio, o que torna praticamente impossível suprir a capacidade atual e futura das usinas nucleares do país", disse em nota o Departamento de Estado dos EUA em fevereiro de 2009.

"Consequentemente, os iranianos provavelmente serão forçados a negociar com fornecedores estrangeiros para obter o urânio para sua indústria nuclear doméstica", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
IRANUCLEARDOCUMENTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.