Irã concede liberdade provisória a três representantes da oposição reformista

Motivo é início de novo ano persa, que começa no próximo domingo

Efe,

16 de março de 2010 | 17h49

As autoridades iranianas concederam liberdade provisória de vários dias a três representantes da oposição reformista condenados a diferentes penas pela sua participação nos protestos pós-eleitorais contra a reeleição do presidente Mahmud Ahmadinejad.

 

Veja também:

linkFabricação de bomba nuclear do Irã está atrasada, diz general dos EUA

linkGoverno da China diz estar 'mais preocupado' com situação no Irã

linkGoverno e oposição de Israel cobram de Lula atitude mais firme contra Irã

 

Segundo as agências de notícias Isna e Ilna, o diretor do partido opositor Frente de Participação, Azar Mansuri, e seu colega Behzad Nabavi, responsável pela Organização de Combatentes da República Islâmica, saíram da prisão devido ao ano novo persa, que começa no próximo domingo.

 

Pela mesma razão, o professor universitário e analista política Said Leilaz, condenado na semana passada a seis anos de prisão, foi autorizado a deixar o cárcere. Todos eles deverão voltar a suas celas em 4 de abril.

 

Mansuri foi preso em setembro passado enquanto Nabavi, que foi vice-presidente do Parlamento durante o governo reformista, foi detido em junho e condenado a cinco anos de prisão.

 

Os protestos não pararam no Irã desde a violenta repressão das forças de segurança e a prisão de milhares de pessoas, das quais centenas já receberam condenações.

 

Na semana passada, as autoridades concederam liberdade provisória a outros ativistas, como o investigador iraniano com passaporte americano Kian Tajbakhsh, que trabalhava para a fundação de George Soros e foi detido junto a centenas de pessoas nos dias posteriores a polêmica vitória nas urnas de Mahmoud Ahmadinejad.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.