AP
AP

Irã condena à morte norte-americano acusado de espionagem

País acusou Hekmati de ter recebido treinamento em bases dos EUA no Afeganistão

REUTERS

09 de janeiro de 2012 | 07h27

TEERÃ - A corte Revolucionária do Irã sentenciou um norte-americano de origem iraniana à morte por espionar para a CIA, informou a agência semi-oficial de notícias Fars nesta segunda-feira, 9.

"Amir Mirza Hekmati foi sentenciado à morte ...por cooperar com um país hostil (os Estados Unidos) e espionar para a CIA", disse a Fars, sem citar a fonte.

"A corte o considerou Corrupto na Terra e Mohareb (quem faz guerra contra Deus).

Não estavam disponíveis autoridades judiciárias para comentar o caso.

Hekmati, de 28 anos, foi preso em dezembro. O Ministério de Inteligência do Irã o acusou de ter recebido treinamento em bases dos EUA no Afeganistão, país vizinho, e também no Iraque.

A Justiça iraniana disse que Kehmati admitiu ter ligações com a CIA, mas que ele afirmou não ter tido a intenção de prejudicar o Irã.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAEUACONDENADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.