Irã: Conselho de Segurança deveria desistir de caso nuclear

O supremo líder aiatolá Ali Khameneidisse neste sábado que a questão do programa nuclear do Irãdeveria ser discutida pela Agência Internacional de EnergiaAtômica e não pelo Conselho de Segurança da ONU, que impôs duasrodadas de sanções em Teerã. Khamenei, a figura mais poderosa do Irã, também disse, aose encontrar com o chefe da AIEA, Mohamed ElBaradei, que osEstados Unidos "não podem deixar a nação iraniana de joelhos"com pressões sobre o programa nuclear de Teerã. Washington está pressionando por uma terceira rodada desanções se o Irã se negar a interromper o programa nuclear, queos Estados Unidos temem que possa ser usado para a fabricaçãode bombas atômicas. O Irã insiste que seu objetivo é pacífico. "O problema da América com o Irã está além da questãonuclear. Os americanos estão errados achando que pressionado oIrã na questão nuclear eles podem abalar o Irã... eles nãopodem deixar a nação iraniana de joelhos", disse Khamenei,segundo a televisão estatal. Ele também repetiu o pedido do Irã para que a questão doprograma nuclear volte a ser tratado pelo braço nuclear da ONUe não pelo Conselho de Segurança da entidade, onde Washingtonestá buscando uma terceira rodada de sanções contra Teerã. "Não existe justificativa para que o caso do Irã fique como Conselho de Segurança da ONU", disse Khamenei, segundo amídia oficial do Irã. Ele insistiu que o Irã não tem intenção de fabricar bombas. (Reportagem de Parisa Hafezi)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.