Irã constrói novas centrífugas e pressiona Rússia por usina

País tem mais de 6 mil centrífugas ativas; embaixador na Rússia diz que Bushehr fica pronta em três meses

estadao.com.br,

18 de dezembro de 2009 | 08h22

O diretor do programa nuclear iraniano, Ali Akbar Salehi, disse nesta sexta-feira, 18, que o país prepara a construção de uma nova geração de centrífugas atômicas, cujo funcionamento está previsto para 2011. Salehi afirmou ainda que o país já tem mais de 6 mil centrífugas ativas.

"Estamos produzindo uma nova geração de centrífugas chamadas IR3 e IR4. Queremos usá-las a partir de 2011 depois de termos eliminados todos problemas e defeitos", disse Saheli à agência iraniana Fars. Em outubro, Teerã anunciou um plano para utilização de novas centrífugas na usina de Qom.

Em Moscou, o embaixador iraniano Mahmud Sadzhadi disse que espera que a Rússia coloque a usina nuclear de Bushehr em funcionamento nos próximos três meses. "Houve alguns problemas, mas as obras agora caminham bem", disse Sadzhadi.

VEJA TAMBÉM:
especial Especial: O programa nuclear do Irã
especial Cronologia: O histórico de tensões e conflitos do país
video TV Estadão: Roberto Godoy analisa teste de mísseis iranianos

A usina deveria ter ficado pronta este ano, mas em novembro a Rússia anunciou que adiaria a finalização da fábrica para 2010 sem dar maiores explicações.

As obras são autorizadas pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), mas foram alvos de vários atrasos nos últimos anos devido às suspeitas ocidentais sobre a natureza do programa nuclear iraniano.

Tradicional aliado de Teerã, a Rússia sinalizou nos últimos meses que não bloquearia uma resolução na ONU contra o país caso houvesse um consenso entre as potências.

 

Com informações da Efe e da Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprgrama nuclearRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.