AP Photo/J. Scott Applewhite
AP Photo/J. Scott Applewhite

Irã critica Estados Unidos por barrar visita a diplomata hospitalizado em Nova York: 'desumano'

Majid Takht Ravanchi passa por um tratamento contra um câncer; ministro das Relações Exteriores estava na cidade para a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2019 | 10h23

O governo do Irã criticou  os Estados Unidos neste sábado,28, pelo que qualificou como decisão "desumana" de impedir que seu ministro das Relações Exteriores, Mohammad Zarif, visitasse um diplomata iraniano hospitalizado em Nova York. Zarif estava na cidade para a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas.

 

O embaixador iraniano na ONU, Majid Takht Ravanchi, passa por um tratamento contra um câncer em um hospital de Nova York. Em julho, os EUA restringiram os movimentos de Zarif a apenas seis quadras da cidade. O Departamento do Estado dos EUA afirmou que permitiria a visita solicitada ao hospital apenas se o Irã libertasse um dos vários cidadãos que atualmente estão "detidos incorretamente".

A agência estatal Irna citou o vice-ministro das Relações Exteriores, Abbas Araghchi, segundo o qual os EUA haviam tornado questões humanitárias "reféns" de causas políticas.

A discussão ocorre em um quadro de tensões bilaterais, após o presidente americano, Donald Trump, decidir mais de um ano atrás retirar unilateralmente os EUA do acordo nuclear internacional com o Irã. Os EUA impuseram sanções que impedem Teerã de vender petróleo ao exterior e prejudicam sua economia. Desde então, o Irã tem quebrado alguns termos do acordo. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.